Principal Televisão 'Story of Late Night' da CNN bombardeia o formato mais amado da TV

'Story of Late Night' da CNN bombardeia o formato mais amado da TV

The Tonight Show Com Jack Paar - Foto: (l-r) Apresentador Hugh Downs, Apresentador Jack PaarNBC / NBCU Photo Bank via Getty Images

A televisão tarde da noite é historicamente atual, nova e atual, mas há um elemento atemporal no gênero que o manteve na vanguarda da telinha por mais de seis décadas. Monólogos de abertura e convidados famosos são do momento, mas a ideia de Late Night é a base do meio que agora povoa. Ao longo dos anos, vários anfitriões estabeleceram os pilares do gênero, aperfeiçoando a fórmula, enquanto outros desafiaram sua forma e função dentro da razão. CNN's A história da madrugada, com estreia no domingo às 21h ET, e seu podcast complementar Atrás da mesa , rastreia os estágios embrionários deste território da TV agora bem desgastado e suas evoluções fluidas nos últimos 60 anos.

Todos desde Johnny Carson adicionam pequenas peças ao gênero, mas curiosamente mantém a base basicamente a mesma, produtor executivo, autor e ex- New York Times repórter de mídia Bill Carter disse ao Braganca. Você tem uma mesa, tem convidados e tem música. Essas coisas permanecem as mesmas, mas cada anfitrião traz sua própria personalidade única para ele.

A série é fascinante. É ao mesmo tempo aplicável a públicos mais velhos que se lembram dos primeiros criadores do passatempo das telinhas da América, bem como a espectadores mais jovens curiosos sobre as origens de nossos tropos de TV agora profundamente enraizados. É um documentário com personalidade, uma narrativa histórica com risos.

Com a televisão linear em declínio e os espectadores mais jovens evitando as amadas franquias de entretenimento das gerações anteriores, Late Night se encontra em uma posição precária no cenário moderno da telinha. Carter falou com o Braganca sobre como A história da madrugada transmite a narrativa completa da existência do Late Night e se estende para o futuro do que poderia ser para o formato amado.

Observador: Você disse anteriormente que uma conexão psicológica se desenvolve entre uma audiência e um apresentador do Late Night por causa da intimidade de convidar alguém para sua casa todas as noites. Por que essa dinâmica aumenta com o Late Night, em oposição a outras formas de TV?
Bill Carter : Eu acho que apenas o fato de que é tarde da noite é um fator. Muitas pessoas estão na cama ou prestes a ir para a cama quando estão assistindo. Além disso, eles assistem sozinhos tarde da noite, eles colocam, e é como se um indivíduo estivesse falando com eles e eles se conectassem com isso. Eu também acho que o fato de ser várias noites por semana; nem todo show é agora, mas certamente os tradicionais acontecem várias noites por semana. Com o tempo, um relacionamento se desenvolve, principalmente porque o anfitrião, muitos dos que são ótimos, passam a falar de si. Eles falam sobre suas famílias, eles podem falar sobre seus pais, certamente quando acontecem coisas com eles quando seus pais falecem ou algo assim, eles se conectam, eles falam sobre isso. E eles estão falando sobre os eventos do dia também, com muita frequência. Portanto, é outra maneira de as pessoas se relacionarem. Eles pensam, Oh sim, isso está na mente dele também, ou na mente dela também. Então, acho que há mais uma conexão baseada apenas em todo esse tipo de intimidade - o tempo, o lugar e a personalidade que eles estão apresentando a você. O comediante / apresentador de talk show Jimmy Kimmel (L) e ex New York Times Repórter de TV Bill Carter na 92nd Street Y em 27 de agosto de 2012 na cidade de Nova York.Desiree Navarro / WireImage

A história da madrugada cobre muitos dos diferentes anfitriões nos primeiros anos de Late Night. Quão importante foi essa variação e experimentação com diferentes personalidades e abordagens para o desenvolvimento do gênero?
Foi extremamente importante porque, quando Steve Allen começou, ninguém sabia o que era. E é tão interessante olhar para seus primeiros programas e o cara só tem um bloco de notas amarelo e ele tem nomes escritos e ele está tentando descobrir o que fazer a seguir e o programa foi tão longo. Foram 90 minutos nacionalmente e uma hora e 45 minutos no mercado de Nova York. Então foi um show realmente longo e você tem muitos convidados e foi muito falado naquela época. Mas eles não sabiam o que estavam fazendo, eles pensaram que seria como o Today Show com notícias e esportes. Eles até tinham boletins meteorológicos malucos desde o início. Eles estavam totalmente experimentando e não sabiam o que era. Tudo o que Steve Allen sabia era que seria engraçado, que usaria o tempo para tentar olhar e ter ideias engraçadas. Então isso faz você pensar que não é um noticiário, não é um Today Show , na verdade é um programa de entretenimento. E isso realmente era importante.

É uma espécie de ferramenta de descoberta para o público que pode não estar familiarizado com quantos dos pilares do gênero surgiram.
O que eu acho que você verá à medida que avançar, as coisas muito interessantes que aparecem por acaso, há uma ótima seção no segundo episódio sobre [Johnny] Carson que se tornou famoso por trazer novos quadrinhos stand up. E se tornou uma coisa, se você fosse ser um comediante de sucesso na América, era vida ou morte entrar no show com Carson. E assustou tanto os caras, como George Lopez conta uma história, ele disse, eu estive preso e não estava com tanto medo quanto quando saí de casa The Tonight Show .

Tornou-se uma coisa para os quadrinhos estourarem The Tonight Show . E então você traz alguém como Letterman, que faz toda essa desconstrução do show onde ele basicamente brinca com todos os aspectos, o tempo e os ângulos e tudo isso porque ele foi um locutor brilhante. E então Jon Stewart aparece e o transforma em um noticiário falso. E se tornou algo com que você podia brincar, colocar sua própria marca nisso. Mas sempre tem um certo DNA. Johnny Carson durante a primeira transmissão de The Tonight Show em 1 ° de outubro de 1962.NBC / NBCU Photo Bank via Getty Images)

A televisão linear está lutando desesperadamente e muitas vezes perdendo para permanecer uma parte da monocultura graças ao streaming e à natureza fragmentada de como consumimos entretenimento hoje em dia. O que o futuro reserva para o gênero Late Night? Ele existe hoje em uma cultura de exibição tão diferente do que há apenas 15 anos.
Sem dúvida, sem dúvida. E abordamos isso no último episódio de como será o futuro. E conversamos com as pessoas, as pessoas mais novas, como Desus e Mero e Amber Ruffin. O que é interessante é o streaming, que é uma coisa fascinante e valiosa que foi adicionada à cultura do entretenimento, não é muito bom para um show noturno porque a maioria dos programas noturnos são tópicos e focados naquele dia. E o streaming foi desenvolvido para estar disponível o tempo todo e foi feito para ser atemporal, na verdade. Você não sabe que horas está passando, você apenas decide assistir. Portanto, há um aspecto diferente nisso e sinto que teremos mais pessoas fazendo coisas diferentes e interessantes.

Vai haver uma espécie de continuum. Eu só não acho que a base raiz do Show desta noite que foi criado por Steve Allen desaparecerá totalmente. E se assim fosse, há tantos deles agora, se todos eles decidissem ir pelo caminho e apenas um permanecesse, acho que seria muito bom. Se você apenas tivesse o Show desta noite como você fez por muitos, muitos anos - quero dizer, muitos tentaram competir com Carson, mas foi inútil. Acho que as pessoas ainda vão querer um desses se muitos deles forem embora.

Quais são alguns dos principais desenvolvimentos e inovações que você notou que separam o Late Night de hoje da era Carson?
Acho que o que Carson realmente fez foi tornar o monólogo tópico. Ele realmente gostou das notícias. E isso agora é um novo passo em frente com Jon Stewart, porque ele estava satirizando as notícias, mas estava usando um ponto de vista. Johnny Carson não expôs seu ponto de vista, você não sabia onde ele realmente se posicionou na guerra do Vietnã. Ele zombaria disso, mas ele não estava tomando uma posição. E para mim, a introdução do ponto de vista foi uma mudança enorme e continuou porque, obviamente, [Stephen] Colbert então fez o ponto de vista, mas ao contrário O Relatório Colbert. Ele estava dando o ponto de vista oposto ao seu. E então a era Trump realmente forçou todos os anfitriões a tomar uma posição e dizer que isso é ultrajante e eles realmente foram muito, muito mais francos do que qualquer pessoa na era Carson ou antes, muito mais francos em seus pontos de vista. E eu acho que uma vez que eles começaram a fazer isso, eles não voltariam mais. Dezembro de 1964: Uma visão da gravação de estúdio da NBC's Esta noite show, com o apresentador, Johnny Carson entrevistando um convidado.Características principais / Imagens Getty

A televisão Late Night está avançando de forma sustentável mesmo com as mudanças rápidas na TV?
É sustentável. Eu só acho que as pessoas adoram. Existem cerca de 12 programas agora. Então, alguém gosta desse estilo claramente, mas simplesmente não os assiste todos juntos ao mesmo tempo. Esse elemento, quando 40 milhões de pessoas assistiram ao casamento de Tiny Tim no programa de Johnny Carson - aliás, isso é maior do que a população da Polônia. Isso não vai acontecer. O público de Jimmy Fallon diminuiu desde quando ele começou. Mas se você somar as cinco noites da semana, ainda tem muita gente assistindo. Ele pode ter 6, 7, 8 milhões de pessoas assistindo, o que é tão raro na televisão agora, muito raro conseguir esse tipo de público. Então ainda tem esse apelo e eu sinto que as pessoas gostam da ideia de vozes cômicas novas e ultrajantes. Tarde da noite é para onde eles vão, é para onde gravitam.

Se você fosse nomeado presidente do Late Night, quais mudanças você faria?
Eu colocaria uma mulher no ar, muito rápido. Porque eu acho isso terrível. Quer dizer, Lily Singh está na NBC, mas ela está no meio da noite muito louca até tarde. E eu realmente prestaria atenção em Amber Ruffin, acho ela fantástica. Eu provavelmente tentaria mudar o formato em que você apenas traz convidados e promove seu próximo filme ou algo assim, mas isso é realmente um motivador do motivo pelo qual você atrai convidados de grande nome. Eu apenas misturei um pouco mais. Eu provavelmente colocaria mais comédia no meio do show. A propósito, Conan [O’Brien] fez muito isso. Ele jogou com o formato de forma brilhante em seus anos na NBC. Mas eu só quero isso e sempre estarei procurando por vozes novas, com certeza.


Esta entrevista foi ligeiramente editada e condensada .

A história da madrugada vai estrear na CNN 5/2 às 21h ET .

Artigos Interessantes